Instrumentação Cirúrgica
 A Resolução nº 214/98, em seus artigos 1º e 2º do Conselho Federal de Enfermagem (COFEN) faz a definição de instrumentação cirúrgica como atividade de enfermagem, não sendo, entretanto ato privativo desta profissão, explana também sobre o profissional de enfermagem que atua como instrumentador cirúrgico, por força de lei, subordina-se exclusivamente ao enfermeiro responsável pela unidade, ou seja, Centro Cirúrgico (BRASIL, 1998).


O profissional de instrumentação cirúrgica, é um pessoa que atua em interação com a equipe cirúrgica, sua responsabilidade é zelar pelo instrumental e equipamentos usados pelo cirurgião e seu assistente. O bom instrumentador planeja-se antes da cirurgia dar o inicio, provendo e organizando o material a ser utilizado.

Como qualquer dos outros elementos da equipe, o instrumentador deverá reger-se por normas de conduta pertinente à sua posição, bem como guardar sigilo profissional (A PROFISSÃO, 2006).

Com a crescente rede de hospitais e crescimento da população esta especialização técnica têm sido cada vez mais procurada. A instrumentação cirúrgica nasceu no século XX no período de maior crescimento nas cirurgias e com isso, o papel do instrumentador cirúrgico também ganhou destaque. Tornou-se necessário cada vez mais qualificar profissionais para trabalhar nessa área tão importante para a medicina.

O curso de instrumentação cirúrgica tem como objetivo especializar os técnicos de enfermagem para a prática profissional de Instrumentação Cirúrgica, considerando o aparato técnico, teórico e tecnológico, com foco na segurança do paciente.
Duração: 10 meses


Saiba mais:

https://www.iceu.com.br/cursosDetalhes.asp?id=1901



30/05/2022 - Notícias
Mafraweb - Desenvolvimento de sites e soluções web